SaporeDiVino

Sua Majestade – Chianti Classico

Chianti classico

Você já ouviu falar em Chianti Classico?

Sabe a diferença entre os vinhos Chianti Classico e Chianti?

Então vamos descobrir agora…

A expressão Chianti Classico indica o coração mais puro e mais antigo da região de Chianti, isso porque a produção é realizada no coração da Toscana. A região de Chianti se subdivide em sete regiões, cada qual tem a sua própria produção, nome e rótulo.

A produção do Chianti Classico se estende entre as províncias de Florença e Siena, e inclui 14 municípios (paese) divididos da seguinte forma:

Todo o território de Greve in Chianti, Castellina in Chianti, Gaiole in Chianti e Radda in Chianti, e parte do território das comunas de Barberino Val d’Elsa, San Casciano Val di Pesa e Tavarnelle Val di Pesa, perto de Florença, e as cidades de Castelnuovo Berardenga e Poggibonsi na província de Siena.

regione-del-Chianti

É nesta área geográfica (cerca de 70 mil hectares) que se produz um dos vinhos mais conhecidos e apreciados do mundo, o vinho Chianti Classico. Um vinho produzido desde o tempo dos etruscos e usado como valiosa moeda de barganha no século XVII. Desde o século XIII, esta área da Toscana foi identificada como um território vinícola denominado Chianti e suas fronteiras foram determinadas por um decreto do Grão-Duque Cosimo III de Medici em 1716.

O que distingue o Chianti Classico dos outros vinhos de Chianti é a etiqueta vermelha inconfundível com o símbolo do galo preto em um dourado. Esta etiqueta representa “il Consorzio Vino Chianti Classico”  (Consorcio do Vinho Chianti Classico), fundado em 1924 para proteger este vinho e sua denominação.

Por falar em Galo Preto (Gallo Nero) vou te contar a história que transformou o galo no símbolo do Chianti Classico.

marchio_consorzio_chianti_classico_gallo_nero

Diz a lenda que no século XIII para dar fim as guerras entre Florença e Siena com o objetivo de definir seus  territórios, resolveram fazer uma competição entre dois cavaleiros que deveriam sair de suas respectivas cidades quando o galo cantasse.

O ponto de encontro dos cavaleiros marcaria a fronteira dos territórios entre Florença e Siena. Os florentinos escolheram um galo preto, o deixaram em jejum e no escuro por alguns dias antes da competição.

No dia marcado para a competição assim que o galo foi liberado do escuro, bem antes do amanhecer, começou a cantar, o que permitiu que o cavaleiro florentino chegasse bem mais longe, conseguindo assim uma parte maior do território para Florença.

A fronteira foi fixada em menos de 20Km das muralhas da cidade de Siena. Espertos esses florentinos, não? Desde então o símbolo do Galo Preto foi adotado para representar o vinho Chianti Classico.

O Chianti Classico é um dos vinhos italianos mais premiados, único no seu gênero e de características muito precisas. Para que o vinho tenha a denominação de Classico não basta que seja produzido na região de Chianti, é preciso seguir o seu disciplinar onde o vinho deve ser composto de 80% de uva Sangiovese, e o restante, os outros 20%, fica a escolha do produtor, que geralmente usa vinhedos como o Canaiolo e o Colorino, Cabernet Sauvignon e Merlot, só para citar alguns.

Outras características desse vinho são a sua cor, vermelho rubi vivaz com reflexos violáceos, notas de frutas vermelhas como cereja e framboesa, cassis e alcaçuz. Odor de violetas com um sabor harmônico, e uma graduação alcoólica mínima de 12°C.

As melhores uvas Sangiovese são destinadas a produção do Chianti Classico Riserva, um vinho muito valorizado de cor vermelho rubi intenso com um envelhecimento mínimo obrigatório de 24 meses, dos quais no mínimo três meses em garrafa e uma graduação alcoólica mínima de 12,5°C.

Dizem que quem prova um vinho Chianti Classico não esquece nunca mais!

Se você ainda não provou, que tal provar?

Aproveite para deixar aqui seu COMENTÁRIO ou relatar suas experiências com esse vinho…

CIN CIN!

8 comentários sobre “Sua Majestade – Chianti Classico

  1. Carmen

    Olá Iaponira, experimentei o vinho Chianti, mas não o clássico. Almoçamos no Mercado Público de Florença, na banca dos Narbone, por sinal a melhor carne de porco que comi. O sanduíche é fantástico!! Servem junto uma taça de vinho Chianti. Quem ainda não foi, vale conferir por que é bom e barato. Abs

    1. Iaponira Diniz Autor da Postagem

      Oi Carmen,
      Que dica boa, essa semana estou indo a Toscana e pretendo passar em Firenze.
      Quem sabe dou uma passada na banca dos Narbone… 🙂
      Ali perto do Mercado tem também um restaurante ótimo especializado na Bisteca Fiorentina, se chama Trattoria da Mario.
      Obrigada pela dica e pelo comentário.
      Grande abraço,
      Iaponira Diniz

    1. Iaponira Diniz Autor da Postagem

      Olá Marcos,
      Eu amo vinho, amo história, amo cultura e amo a natureza!
      O vinho consegue reunir todas essas coisas, fácil se apaixonar, não? 🙂
      Obrigada pelo seu comentário.
      Abraços,
      Iaponira & Massimiliano

  2. Carmine D'Olivo Jr.

    Boa noite, gostaria de obter o máximo de informações sobre a semelhança entre os chianti, os brunellos e os super toscanos, bem como, uma relação de vinhos adequada para ser degustada. Grato

  3. Idalecio de Freitas

    Olá
    Conheci a Toscana bela com seus vinhedos almocei no restaurante Factore Rignana onde tomei um Chianti para guardar o sabor dessa terra . Espero quem sabe um dia poder voltar a repetir a rota dos vinhedos.

    1. Iaponira Diniz Autor da Postagem

      Oi Idalecio,
      A Toscana é realmente encantadora. Vinhos maravilhosos para gente degustar.
      Se vier por aqui e precisar de dicas entre em contato com a gente.
      Grande abraço,
      Iaponira & Massimiliano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *